FROM SCRATCH NEWSWIRE

SCAVENGING THE INTERNET

Archive for the ‘PORTUGAL’ Category

SUZLON ACQUIRES FIRST TRANCHE OF MARTIFER’S STAKE IN REPOWER (India)

Posted by Gilmour Poincaree on December 31, 2008

30 Dec, 2008, 13:31 hrs IST

ET Bureau

PUBLISHED BY ‘THE ECONOMIC TIMES’ (India)

CLICK HERE FOR THE ORIGINAL ARTICLE

PUBLISHED BY ‘THE ECONOMIC TIMES’ (India)

Posted in AEOLIC, COMMODITIES MARKET, ECONOMIC CONJUNCTURE, ECONOMY, ENERGY, ENERGY INDUSTRIES, ENVIRONMENT, FINANCIAL CRISIS 2008/2009, FINANCIAL MARKETS, FOREIGN POLICIES, GERMANY, INDIA, INDUSTRIAL PRODUCTION, INDUSTRIES, INTERNATIONAL, INTERNATIONAL RELATIONS, PORTUGAL, STAGFLATION, STOCK MARKETS, THE FLOW OF INVESTMENTS | Leave a Comment »

EURO CURRENCY TURNS 10; SEEN FULFILLING PROMISE – TEN YEARS AGO, EUROPE LAUNCHED ITS GRAND EXPERIMENT WITH A SHARED CURRENCY – AND WATCHED IT PLUNGE IN VALUE BEFORE RECOVERING

Posted by Gilmour Poincaree on December 28, 2008

Sunday, December 28, 2008 at 11:35 AM

by Matt Moore and George Frey – Associated Press Business Writers

PUBLISHED BY ‘THE SEATTLE TIMES’ (USA)

CLICK HERE FOR THE ORIGINAL ARTICLE

PUBLISHED BY ‘THE SEATTLE TIMES’ (USA)

Posted in AUSTRIA, BANKING SYSTEMS, BELGIUM, CENTRAL BANKS, COMMERCE, CURRENCIES, CYPRUS, ECONOMIC CONJUNCTURE, ECONOMY, EURO, EUROPEAN CENTRAL BANK, FINANCIAL CRISIS 2008/2009, FOREIGN POLICIES, FRANCE, GERMANY, GREECE, INTERNATIONAL, INTERNATIONAL RELATIONS, LUXEMBOURG, NETHERLANDS, PORTUGAL, RECESSION, SLOVAKIA, THE EUROPEAN UNION | Leave a Comment »

EURO ZONE Q3 EMPLOYMENT FALLS, FIRST TIME ON RECORD

Posted by Gilmour Poincaree on December 17, 2008

December 16, 2008

Reuters

PUBLISHED BY ‘THE FINANCIAL MIRROR’ (Cyprus)

CLICK HERE FOR THE ORIGINAL ARTICLE

PUBLISHED BY ‘THE FINANCIAL MIRROR’ (Cyprus)

Posted in ECONOMIC CONJUNCTURE, ECONOMY, FINANCIAL CRISIS 2008/2009, FRANCE, GERMANY, INDUSTRIAL PRODUCTION, INDUSTRIES, INTERNATIONAL, NATIONAL WORK FORCES, PORTUGAL, RECESSION, RUSSIA, SPAIN, THE EUROPEAN UNION, THE FLOW OF INVESTMENTS, THE WORK MARKET, THE WORKERS, UNITED KINGDOM | Leave a Comment »

À DGCI – BANCOS VÃO TER DE DENUNCIAR CONTAS ABERTAS POR DEVEDORES – E também os que estão inseridos em sectores de risco

Posted by Gilmour Poincaree on November 22, 2008

2008/11/22 12:50

Redacção / MDAAAA

Os bancos e a generalidade das sociedades financeiras vão ter de comunicar automaticamente à Direcção-Geral dos Impostos (DGCI) todas as aberturas ou manutenção de contas por parte de contribuintes que estejam na lista de devedores ao fisco, bem como os que estão inseridos em sectores de risco, avança o «Público».

A medida faz parte de um vasto pacote de alterações apresentadas ontem pelo Partido Socialista (PS), em consonância com o Ministério das Finanças, à proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2009 e que, com base na maioria parlamentar dos socialistas, será aprovada e entrará em vigor a partir de 1 de Janeiro do próximo ano.

Adianta ainda o «Público» que, actualmente, o número um do artigo 63-A da Lei Geral Tributária (LGT), onde são reguladas as informações relativas a operações financeiras, não estabelecia nada em relação a esta matéria e a proposta de Orçamento apresentada pelo Governo deixava tudo como dantes.

No entanto, a proposta apresentada pelos socialista na passada sexta-feira altera esta legislação, determinando-se que «as instituições de crédito e sociedades financeiras estão sujeitas a mecanismos de informação automática relativamente à abertura ou manutenção de contas por contribuintes cuja situação tributária não se encontre regularizada, nos termos dos números 5 e 6 do artigo 64.º [da LGT], e inseridos em sectores de risco». Como os números 5 e 6 do artigo 64.º da LGT determinam precisamente quais os contribuintes a colocar na lista de devedores ao fisco, tanto estes, como os que sejam englobados em sectores de risco pela DGCI, vêem agora os seus bancos, ou o banco onde pretendam abrir uma nova conta, a ter de comunicar ao fisco essa situação.

Contribuintes que paguem pensões de alimentos vão ser penalizados no IRS

Mas, de acordo com o mesmo jornal, as várias dezenas de propostas apresentadas pelo PS vem introduzir ainda uma outra alteração que terá efeitos significativos sobre o rendimento dos contribuintes divorciados e que pagam pensão de alimentos ao seu anterior cônjuge.

Actualmente, o Código do Imposto sobre o Rendimento de pessoas Singulares (IRS) permite que os contribuintes divorciados que paguem pensões de alimentos deduzam ao seu rendimento líquido as pensões pagas, desde que as mesmas sejam determinadas judicialmente. Mais uma vez, a proposta de Orçamento apresentada pelo Governo não alterava esta situação. Mas o PS altera-a totalmente. Deixa de ser possível deduzir estas importâncias ao rendimento líquido e permite-se que seja dedutível à colecta, mas apenas 20 por cento da pensão paga. Ou seja, serão penalizados de várias formas. Por um lado, porque é mais desvantajoso deduzir à colecta do que abater ao rendimento (esta era, aliás, a única situação de abatimento ainda prevista no CIRS); por outro, a despesa paga com pensões, apenas poderá ser deduzida em 20 por cento desse valor.

CLICK HERE FOR THE ORIGINAL ARTICLE

PUBLISHED BY ‘AGÊNCIA FINANCEIRA’ (Portugal)

Posted in BANKING SYSTEMS, CENTRAL BANKS, ECONOMIC CONJUNCTURE, ECONOMY, FINANCIAL CRISIS 2008/2009, FINANCIAL MARKETS, INTERNATIONAL, MACROECONOMY, PORTUGAL, RECESSION, REGULATIONS AND BUSINESS TRANSPARENCY, THE FLOW OF INVESTMENTS | Leave a Comment »

ESPAÑA Y PORTUGAL FIRMAN LA “CARTA DE INTENCIONES PARA LA SOSTENIBILIDAD Y DESARROLLO DE LA AGRICULTURA ECOLÓGICA” – La ministra de Medio Ambiente y Medio Rural y Marino, Elena Espinosa y el ministro de Agricultura, Desarrollo Rural y Pesca de Portugal, Jaime Silva han firmado hoy la “Carta de intenciones para la sostenibilidad y desarrollo de la agricultura ecológica”, con el objeto de fomentar el desarrollo de la misma, a través de acciones comunes o propias coordinadas, que beneficien a ambos territorios

Posted by Gilmour Poincaree on November 22, 2008

21/11/2008

MARM – Las relaciones existentes entre España y Portugal, permiten un amplio campo de cooperación mutua en los ámbitos del desarrollo cultural, social, económico y tecnológico. Ambos países son depositarios de grandes tradiciones agroalimentarias y comparten el interés en la conservación medioambiental y de la biodiversidad de la península ibérica.

En producción ecológica las situaciones respectivas de las dos naciones son similares, en cuanto a la importancia de la superficie agraria, orientaciones productivas basadas en un compartido medio geográfico y climático, en estructuras de comercialización y en el nivel de demanda interna de sus productos.

En la “Carta de intenciones para la sostenibilidad y desarrollo de la agricultura ecológica”, ambos gobiernos destacan que la Agricultura Ecológica constituye un sector estratégico que conecta perfectamente con políticas medioambientales, de gestión de recursos escasos, de sostenibilidad y de calidad alimentaria.

Por otro lado, la agricultura ecológica responde a una demanda moderna de productos naturales por parte de los consumidores, y sus producciones, debido a su exigente sistema de certificación y control.

La práctica y el estímulo de la transformación de sus producciones, supone un modo de diversificación agraria y contribuye a la revalorización de productos agroalimentarios aunando viabilidad económica con sostenibilidad ecológica y social.

La Agricultura Ecológica tiene un papel decisivo en el desarrollo rural, dinamizando las comarcas donde se practica y actuando como catalizador de la incorporación de jóvenes agricultores, como herramienta de educación ambiental y soporte de actividades de ecoturismo, así como elemento de promoción de todo un legado gastronómico.

El método de la Agricultura Ecológica es acorde con las tendencias de la nueva PAC y la política general de fomento de la calidad agroalimentaria y de desarrollo sostenible que se llevan a cabo por ambos gobiernos.

A estos fines, los firmantes se comprometen a promover coordinadamente las siguientes iniciativas para la defensa y promoción de la Agricultura Ecológica, de las producciones de calidad obtenidas con el método de producción ecológica, con el doble objetivo de desarrollar el sector y de mejorar las condiciones de calidad y competitividad de sus productos en los mercados nacionales e internacionales, respetando los derechos de los consumidores:

– Consolidar e incrementar la posición de ambos gobiernos dentro de la Unión Europea en cuanto importancia de la superficie dedicada a la producción ecológica

– Favorecer la integración e identificación de los elementos característicos de la producción ecológica en el resto de políticas.

– Fomentar el desarrollo general del sector primario reconociendo sus especificidades.

– Propiciar el intercambio de conocimientos y de iniciativas relacionadas con la formación y la investigación específica aplicadas a este método productivo.

– Promover el establecimiento real de un mercado único comunitario en lo que respecta a la producción ecológica tratando de reducir los elementos que fomentan los mercados nacionales.

– Consolidar los canales de distribución específicos de los productos de la Agricultura Ecológica, fomentando, al mismo tiempo, la introducción de estos productos en los canales convencionales y la creación de nuevas iniciativas de concentración de la oferta.

– Mejorar el conocimiento de la población al respecto de este tipo de productos tratando así de promover su consumo.

– Promover la convergencia hacia una aplicación uniforme de los instrumentos de control y certificación.

CLICK HERE FOR THE ORIGINAL ARTICLE

PUBLISHED BY ‘AGROINFORMACION’ (Spain)

Posted in AGRICULTURE, COMMERCE, COMMODITIES MARKET, ECOLOGICAL AGRICULTURE, ECONOMIC CONJUNCTURE, ECONOMY, ENVIRONMENT, INTERNATIONAL, INTERNATIONAL RELATIONS, PORTUGAL, SPAIN, THE FLOW OF INVESTMENTS | Leave a Comment »

CE APADRINHA ACORDOS DE MUNICÍPIOS CABO-VERDIANOS COM AUTARQUIAS PORTUGUESAS (Cape Verde)

Posted by Gilmour Poincaree on November 15, 2008

15-11-08

A Comissão Europeia aproveita as Jornadas de Desenvolvimento, que se iniciam hoje em Estrasburgo (França) para dinamizar parcerias com os países do Sul. Nessa perspectiva, a CE vai apadrinhar acordos de geminação de seis municípios cabo-verdianos com autarquias portuguesas durante o encontro cujo tema é “O Poder Local e o Desenvolvimento”.

A ideia da Comissão Europeia é que se cada autarquia da zona euro decidir lançar-se numa geminação com uma cidade, um concelho, um distrito, uma província ou uma região do Sul, o mundo transformar-se-á e a pobreza diminuirá rapidamente.

No que diz respeito a Cabo Verde, essa proposta começa a concretizar-se com a ligação de seis autarquias a homólogos portugueses. Em concreto, a cidade da Praia vai ligar-se ao concelho de Covilhã, Santa Catarina irmana-se com Trofa, Ribeira Grande de Santiago com Guimarães, São Lourenço dos Órgãos com Anadia, Santa Catarina do Fogo com Miranda do Corvo e S. Filipe com Cinfães.

No caso de Cinfães, a autarquia portuguesa explica que o acordo com São Filipe faz todo o sentido por causa da “ligação de Serpa Pinto, explorador africanista e cinfanense, a Cabo Verde”. Aliás, neste arquipélago existem dois monumentos erigidos em honra a Alexandre Alberto da Rocha Serpa Pinto: um em S. Filipe e outro na cidade da Praia.

A Câmara Municipal de Cinfães sublinha que os programas de geminação baseiam-se na associação e no trabalho conjunto de questões comuns aos municípios e constituem um instrumento importante na procura de soluções e na formação de solidariedades estratégicas, cooperação e troca de informação relevante.

A edilidade portuguesa tem como objectivos contribuir para a redução da pobreza no país, fomentar a confiança mútua, a amizade e compreensão a um nível pessoal e cívico, além de celebrar e reforçar os fortes laços históricos e culturais que unem os dois povos. Os cinfanenses pretendem também promover iniciativas de intercâmbio e de animação entre jovens estudantes portugueses e de São Filipe.

Em termos gerais, a Comissão Europeia aproveita as Jornadas deste fim-de-semana, cujo tema é “O Poder Local e o Desenvolvimento”, para dinamizar parcerias da Europa com os países do Sul. A ideia é que se cada autarquia da zona euro decidir lançar-se numa geminação com uma cidade, um concelho, um distrito, uma província ou uma região do Sul, o mundo transformar-se-á e a pobreza diminuirá rapidamente.

CLICK HERE FOR THE ORIGINAL ARTICLE

PUBLISHED BY ‘A SEMANA’ (Cape Verde)

Posted in CAPE VERDE, ECONOMIC CONJUNCTURE, ECONOMY, INTERNATIONAL, INTERNATIONAL RELATIONS, PORTUGAL, RELAÇÕES INTERNACIONAIS - BRASIL, THE EUROPEAN UNION | Leave a Comment »

BRASIL E PORTUGAL INTENSIFICAM AGENDA NA ÁREA DE SAÚDE

Posted by Gilmour Poincaree on November 4, 2008

04/11/2008

Com o objetivo de firmar ações de cooperação para os próximos 5 anos entre Brasil e Portugal, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, participa, entre os dias 3 e 5 de novembro, em Lisboa, de encontro para tratar de planejamento estratégico de sistemas de saúde. Serão discutidas iniciativas e acordos que envolvem a atenção básica, em experiências como a Estratégia da Saúde da Família, saúde mental e atenção aos idosos. Também estão em discussão entre os dois países bolsas de estudo para intercâmbio de profissionais e estudantes do setor de saúde e entendimento entre os sistemas de vigilância sanitária para a inspeção e registro de produtos, como medicamentos e cosméticos, fortalecendo o potencial comercial entre Brasil e a União Européia. Já em Londres, nos dias 6 e 7, o ministro participa como convidado de conferência sobre determinantes sociais.

“Estamos saindo de cooperação baseada em apoios pontuais, uma relação fragmentada, passando a estabelecer, de maneira consensual, algumas estratégias comuns e prioridades entre os dois países”, afirmou Temporão.

O simpósio “Saúde Brasil-Portugal (1808-2008)”, marca os 200 anos da chegada da Família Real Portuguesa ao Brasil. O primeiro encontro ocorreu em junho, no Brasil. Agora, em Lisboa, novamente serão reunidas autoridades, pesquisadores, profissionais de saúde e estudantes de medicina, para consolidar uma agenda de cooperação até 2013.

Segundo o ministro, também serão debatidos temas sobre investigação epidemiológica, a inovação e tecnologia em saúde e o desenvolvimento. “A saúde não é apenas uma política social relevante, mas também é um espaço fundamental de desenvolvimento de conhecimento, emprego e riqueza”, disse.

Além disso, o Temporão afirma que o Brasil levará as experiências de participação social nas políticas de saúde pública, como controle social, com a realização de conferências nacionais e estabelecimento de conselhos saúde, e experiências nas áreas de políticas para populações específicas (mulheres, indígenas e crianças, entre outros).

As atividades são promovidas pelos ministérios da Saúde do Brasil e de Portugal, por meio da Fundação Oswaldo Cruz e do Alto Comissariado da Saúde (Fiocruz), respectivamente, em parceira com as academias nacionais de medicina e institutos nacionais de saúde de ambos os países. Para o simpósio, o ministro da Saúde do Brasil, José Gomes Temporão, é convidado como conferencista da aula magna com o tema “A Saúde no Século XXI: desafios e estratégias”, às 11h30, dia 3, no Instituto Molecular da Universidade de Lisboa.

Acordos – Como resultados das exposições e dos simpósios promovidos no Brasil (entre os dias 7 e 9 de julho) e em Portugal (de 3 a 5 de novembro), será estabelecido um plano plurianual (2008-2013) de ações entre os dois países. Serão firmados inicialmente quatro acordos de cooperação no segmento da atenção básica. Eles prevêem visitas técnicas entre profissionais de saúde do Brasil e de Portugal, intercâmbio de experiências e boas práticas em saúde pública e troca de materiais informativos, entre outras parcerias.

Essa é a primeira vez que os dois países firmam acordos específicos em saúde. Além de estreitar as relações institucionais entre Portugal e a ex-colônia, a cooperação produzirá relevantes impactos econômicos e técnico-científicos em virtude da situação de Portugal no contexto da União Européia e das capacidades do mercado brasileiro.

Para o plano plurianual de ações, também deve ser discutido um programa de bolsas de estudo – importante parceria na área de formação técnico-científica. A idéia é alinhar conhecimento em medicina e outras áreas da saúde como também afinar procedimentos e diretrizes da saúde pública dos dois países.

Já a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Brasil, e a Autoridade Nacional de Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed), de Portugal, têm realizado desde junho encontros para afinar a cooperação para temas como registro e inspeção de medicamentos e de cosméticos, e informações ao consumidor e profissionais de saúde. O objetivo é melhorar o diálogo entre os dois países na área de regulação em saúde, além de fortalecer o complexo industrial da saúde no Brasil.

Londres – No Reino Unido, Temporão participa como convidado da conferência sobre o trabalho da Comissão da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre os Determinantes Sociais da Saúde. A atividade é parte da programação do “Ano da Colaboração em Saúde – 1º de abril de 2008 a 31 de março de 2009”. O convite é conseqüência da visita do ministro britânico da Saúde, Alan Johnson, ao Brasil, em fevereiro deste ano. Participam do encontro outras personalidades das saúde pública mundial, como Margaret Chan, diretora geral da OMS (Organização Mundial de Saúde).

O ministro apresentará os resultados da Comissão Nacional de Determinantes Sociais em Saúde (CNDSS), criada em março de 2006 por decreto presidencial. Os determinantes sociais em saúde são fatores sociais, econômicos, culturais, étnicos ou raciais, psicológicos e comportamentais que influenciam no padrão de saúde dos indivíduos.

Ministério da Saúde

CLICK HERE FOR THE ORIGINAL ARTICLE

PUBLISHED BY ‘EM QUESTÃO’ (Brasil)

Posted in BRASIL, EUROPE, INTERNATIONAL, MINISTÉRIO DA SAÚDE, O PODER EXECUTIVO FEDERAL, PORTUGAL, RELAÇÕES INTERNACIONAIS - BRASIL, SISTEMA PÚBLICO DE SAÚDE | Leave a Comment »

PORTUGAL ESTATIZA INSTITUIÇÃO FINANCEIRA BPN – Autoridades garantem que apesar da estatização, o país não atravessa problemas de solvência

Posted by Gilmour Poincaree on November 3, 2008

02/11/2008 | 16h14min

O governo de Portugal vai estatizar o Banco Português de Negócios (BPN), informou neste domingo o Fernando Teixeira dos Santosministro das Finanças Fernando Teixeira dos Santos. A estatização do banco, que não é listado na bolsa, é considerada o primeiro indício de que a crise financeira global começa a atingir instituições financeiras de pequeno porte no sul da Europa.

Vitor Constancio, governador do Banco de Portugal, disse durante entrevista coletiva conjunta concedida ao lado de Teixeira dos Santos que, apesar da estatização, o país não atravessa problemas de solvência. Numa entrevista à TV portuguesa, Teixeira dos Santos comentou que o BPN atravessava problemas de liquidez e suas perdas eram da ordem de 700 milhões de euros.

O BPN é o menor banco de varejo de Portugal. Seu patrimônio é estimado em 8 bilhões de euros. O banco possui 200 agências em Portugal e na França. Com a estatização, o governo português espera tranqüilizar os clientes do banco de que “seus depósitos estão seguros”, disse o ministro das Finanças. O processo será conduzido por dois interventores do governo, prosseguiu ele.

Recentemente, Portugal aprovou a criação de um fundo de até 20 bilhões de euros para dar liquidez aos bancos do país para ajudá-los a atravessar a crise financeira global.

CLICK HERE FOR THE ORIGINAL ARTICLE

PUBLISHED BY ‘PORTAL CLIC RBS’ (Brasil)

Posted in BANKING SYSTEMS, CENTRAL BANKS, ECONOMIC CONJUNCTURE, ECONOMY, EUROPE, FINANCIAL CRISIS 2008/2009, FINANCIAL MARKETS, INTERNATIONAL, PORTUGAL, THE FLOW OF INVESTMENTS | Leave a Comment »

MESMO COM CRISE, GALP MANTÉM INVESTIMENTOS (Brasil – Portugal)

Posted by Gilmour Poincaree on November 2, 2008

01/11 – 00:20

Lisboa, 1 de novembro de 2008 – A Galp Energia, petrolífera portuguesa e parceria da Petrobras em alguns dos poços exploratórios mais importantes da camada pré-sal brasileira — Tupi, Iara e Júpiter —, não pretende alterar seus planos de investimentos para o Brasil por conta da atual crise financeira mundial, que fez o preço internacional do barril do petróleo cair em torno de 50% em menos de três meses. ‘Nossos projetos em águas ultraprofundas, que incluem regiões petrolíferas no Brasil, Angola e México, são viáveis e vamos manter os mesmos investimentos que foram programados antes da crise’, disse Manuel Ferreira de Oliveira, presidente da Galp, que participou na sexta-feira do Lisbon Energy Forum 2008, um evento internacional dedicado às questões energéticas.

Segundo Oliveira, uma empresa de petróleo e gás não pode tomar decisões baseadas em acontecimentos de curto prazo, seja com o barril a US$ 60, seja com o preço do petróleo na casa dos US$ 200. ‘Nesse negócio, é preciso ter uma visão de longo prazo, pois sabe-se que, desde a exploração até o desenvolvimento pleno da produção, demora-se cerca de 30 anos’, enfatiza o executivo, que garante não estar sozinho em sua decisão. ‘Até agora não ouvir falar de nenhuma companhia petrolífera que reduziu investimentos por causa da queda do preço do petróleo’, afirmou. (Denis Cardoso)

CLICK HERE FOR THE ORIGINAL ARTICLE

PUBLISHED BY ‘GAZETA MERCANTIL’ (Brasil)

Posted in A QUESTÃO ENERGÉTICA, BRASIL, COMMERCE, ECONOMIA - BRASIL, ECONOMIC CONJUNCTURE, ECONOMY, ENERGY, EUROPE, EXPANSÃO INDUSTRIAL, FLUXO DE CAPITAIS, INDÚSTRIAS, INDUSTRIAL PRODUCTION, INTERNATIONAL, PETRÓLEO, PETROL, PORTUGAL, RELAÇÕES INTERNACIONAIS - BRASIL, THE FLOW OF INVESTMENTS | Leave a Comment »

COMÉRCIO ENTRE CHINA E PAÍSES DA CPLP ULTRAPASSA OS 53 MIL MILHÕES DE DÓLARES (Angola)

Posted by Gilmour Poincaree on October 24, 2008


Ano 8 – Edição Online nº 2529 – Sexta, 24 de Outubro de 2008

A balança comercial entre a China e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) ultrapassou em Agosto os 53 mil milhões de dólares, passando o objectivo dos vários governos para o final de 2009 (50 mil milhões de dólares).

Segundo o documento , Angola é o segundo parceiro lusófono da China, com trocas comerciais de 18,6 mil milhões, mais 133,1 por cento do que no mesmo período de 2007, e correspondentes a vendas de 16,89 mil milhões e compras de cerca de 1,77 mil milhões.

O comércio de Angola com a China continua em alta e a favor do primeiro país, à luz das trocas dos oito últimos meses, cujos dados foram publicados quarta-feira pelo Gabinete de Apoio ao Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países Lusófonos.

Em Agosto passado, as trocas comerciais somaram exactamente 53,3 mil milhões, 92,9 por cento a mais do que no mesmo período de 2007, no fim do qual se fixaram a 46,3 mil milhões.

A China comprou dos oito países de língua oficial portuguesa produtos no valor de 37,288 mil milhões de dólares e vendeu o equivalente a 16 mil milhões de dólares. Convém ressalvar a situação de São Tomé e Príncipe, o qual não está directamente ligado ao Fórum por ter relações diplomáticas com Taiwan, mas integra a lista de trocas comerciais.

O Brasil, que viu o comércio com a China aumentar 82,2 por cento, manteve-se como principal parceiro lusófono de Pequim, tendo exportado para o continente bens no valor de 20,1 mil milhões e importado o equivalente a 12,66 milhões, fechando as trocas comerciais globais com negócios no valor de 32,7 milhões.

Portugal é o terceiro parceiro lusófono da China, registando um comércio bilateral de 1,7 mil milhões relativos a vendas de 234,2 milhões e compras à China de 1,47 mil milhões de dólares.

O comércio entre a China e Portugal registou uma diminuição de 17,6 por cento nas importações chinesas e um aumento de 24,5 por cento nas importações de Portugal, o que corresponde a um acréscimo global das trocas de 16,3 por cento.

Portanto, o comércio entre a China e os países lusófonos mantém uma forte tendência de crescimento iniciada em Outubro de 2003, com o estabelecimento do Fórum para Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países Lusófonos, que tem na Região Administrativa Especial de Macau uma base de apoio de contratos e promoção.

CLICK HERE FOR THE ORIGINAL ARTICLE

PUBLISHED BY ‘JORNAL DE ANGOLA’

Posted in AFRICA, ANGOLA, ASIA, BRASIL, CAPE VERDE, CHINA, COMMERCE, COMMODITIES MARKET, ECONOMY, INTERNATIONAL, MOZAMBIQUE, PORTUGAL | Leave a Comment »